Violência Doméstica e Perturbação do Uso de Substâncias com Início Tardio: Um Caso-Clínico de Liberdade e Cativeiro

Autores

  • Sara Rodrigues Departamento de Pedopsiquiatria e Saúde Mental da Infância e da Adolescência, Centro Hospitalar e Universitário do Porto, Porto, Portugal https://orcid.org/0000-0002-6258-7711
  • Daniela Oliveira Martins Departamento de Psiquiatria, Hospital de Magalhães Lemos, Porto, Portugal
  • Ana Peixoto Equipa de Tratamento de Matosinhos, Centro de Respostas Integradas Ocidental, Porto, Portugal

DOI:

https://doi.org/10.51338/rppsm.318

Palavras-chave:

ViViolência Por Parceiro íntimo, Perturbação do Uso de Substâncias

Resumo

A violência por parceiro íntimo (VPI) perpetrada por homens é um problema de saúde pública significativamente pre- valente, com associação a maior incidência de abuso de substâncias em mulheres jovens. No entanto, a evidência sobre esta associação em mulheres em idade adulta avançada é escassa. Neste artigo, apresentamos o caso de uma paciente do sexo feminino de 52 anos de idade, observada por início recente de consumo de heroína. A paciente relatava história de abuso físico e emocional em contexto matrimonial durante trinta anos. Aos 49 anos, quando assina o divórcio e termina o relacionamento abusivo, seguem‐se comportamentos de risco e abuso de substâncias ilícitas. São necessários estudos adicionais em prol do esclarecimento do impacto do trauma associado à VPI em mulheres mais velhas, bem como da promoção de medidas preventivas e terapêuticas na salvaguarda da saúde mental desta população vulnerável.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Devries K. (2013), Global health: The global prevalence of intimate partner violence against women. Science. 28; 340(6140):1527-8. DOI: https://doi.org/10.1126/science.1240937

Garcia L. (2018), Violência por parceiro íntimo: perfil dos atendimentos em serviços de urgência e emergência nas capitais dos estados brasileiros. Caderno de Saúde Pública, 34(4): e00062317 DOI: https://doi.org/10.1590/0102-311x00062317

Keynejad R. (2020), Psychological interventions for common mental disorders in women experiencing intimate partner violence in low-income and middle-income countries: a systematic review and meta-analysis. Lancet Psychiatry. 7(2): 173–190. DOI: https://doi.org/10.1016/S2215-0366(19)30510-3

Campbell J. (2002), Health consequences of intimate partner violence. Lancet. 359(9314):1331-6. DOI: https://doi.org/10.1016/S0140-6736(02)08336-8

Ellsberg M. (2014), Intimate partner violence and mental health. Global Health Action. 7: 25658. DOI: https://doi.org/10.3402/gha.v7.25658

Smith C. (2010), Impact of adolescent exposure to intimate partner violence on substance use in early adulthood. Journal of Studies in Alcohol and Drugs. 71(2): 219–230. DOI: https://doi.org/10.15288/jsad.2010.71.219

Brackley M. (2010), Substance abuse interface with intimate partner violence: what treatment programs need to know. Nursing Clinics in North America. 45(4):581-9, vi. DOI: https://doi.org/10.1016/j.cnur.2010.06.001

Pallatino C. (2012), The intersection of intimate partner violence and substance use among women with opioid use disorder. Substance Abuse. 42(2):197-204. DOI: https://doi.org/10.1080/08897077.2019.1671296

Downloads

Publicado

2022-06-06

Como Citar

Rodrigues, S., Oliveira Martins, D., & Peixoto, A. (2022). Violência Doméstica e Perturbação do Uso de Substâncias com Início Tardio: Um Caso-Clínico de Liberdade e Cativeiro. Revista Portuguesa De Psiquiatria E Saúde Mental, 8(2), 70–73. https://doi.org/10.51338/rppsm.318

Edição

Secção

Caso Clínico